quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

SpectralFairy

Vetor by SpectralFairy


Romance de Uma Caveira [Alvarenga e Ranchinho]

Eram duas caveiras que se amavam
E à meia-noite se encontravam
Pelo cemitério os dois passeavam
E juras de amor então trocavam.
Sentados os dois em riba da lousa fria
A caveira apaixonada assim dizia
Que pelo caveiro de amor morria
E ele de amores por ela vivia.
Ao longe uma coruja cantava alegre
Por ver os dois caveiros assim felizes
E quando se beijavam entao funebres
A coruja batendo palma e pedia bis
Mas um dia chegou de pé junto
Um cadáver novo de um defunto
E a caveira pr'ele se apaixonou
E o caveiro antigo abandonou.
O caveiro tomou uma bebedeira
E matou-se de um modo romanesco
Por causa dessa ingrata caveira
Que trocou ele por um defunto fresco.

1 comentários:

alex disse...

Gostei muito da poesia com romance e comedia que no final que já e fim. A conte-se com todos nos seres humanos ainda vivos também. Não pare de escrever suas poesias.